domingo, 27 de junho de 2010

- Textos para Refletir!!!

Neste texto eu termino (só por aqui) o momento de reflexão do mês sobre este tema (inesgotável): O amor!!
Boa leitura! Enorme abraço!!

Crônica do Amor!
(Arnaldo Jabor)

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.


Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

- Textos para Refletir!!!

Aqui vai mais um texto para refletirmos ou pelo menos apreciarmos.

Enorme abraço e boa leitura.


PARA QUEM QUER APRENDER A AMAR
(Artur da Távola)

Talvez seja tão simples, tolo e natural que você nunca tenha parado para pensar: aprenda a fazer bonito o seu amor. Ou fazer o seu amor ser ou ficar bonito. Aprenda, apenas a tão difícil arte de amar bonito. Gostar é tão fácil que ninguém aceita aprender.

Tenho visto muito amor por ai. Amores mesmo, bravios, gigantescos, descomunais, profundos, sinceros, cheios de entrega, doação e dádiva. Mas esbarram na dificuldade de se tornar bonitos. Apenas isso: bonito, belos ou embelezados, tratados com carinho, cuidado e atenção. Amores levados com arte e ternura de mãos jardineiras.


Aí esses amores que são verdadeiros, eternos e descomunais de repente se percebem ameaçados apenas e tão somente porque não sabem ser bonitos: cobram; exigem; rotinizam; descuidam, reclamam; deixam de compreender, necessitam mais do que oferecem; precisam mais do que atendem; enchem-se de razões. Sim, de razões. Ter razão é o maior perigo do amor. Quem tem razão sempre se sente no direito (e o tem) de reivindicar, de exigir justiça, equidade, equiparação, sem atinar que o que está sem razão talvez passe por um momento de sua vida no qual não possa ter razão. Nem queira. Ter razão é um perigo: em geral enfeia o amor, pois é inovado com justiça, mas na hora errada. Amar bonito é saber a hora de ter razão.


Ponha a mão na consciência. Você tem certeza de que está fazendo o seu amor bonito? De que está tirando do gesto, da ação, da reação, do olhar, da saudade, da alegria, do encontro, da dor do desencontro a maior beleza possível? Talvez não. Cheio ou cheia de razões, você espera do amor apenas aquilo que é exigido por suas partes necessitadas, quando talvez dele devesse pouco esperar, para valorizar melhor tudo de bom que de vez em quando ele pode trazer. Quem espera mais do que isso sofre, e sofrendo deixa de amar bonito. Sofrendo, deixa de ser alegre, igual, irmão, criança. E sem soltar a criança, nenhum amor é bonito.

Não tema o romantismo. Derrube as cercas da opinião alheia. Faça coroas de margaridas e enfeite a cabeça de quem você ama. Saia cantando e olhe alegre. Recomendam-se: encabulamentos; ser pego em flagrante gostando; não se cansar de olhar, e olhar, não atrapalhar a convivência com teorizações; adiar sempre, se possível com beijos, “aquela conversa importante que precisamos ter”; arquivar se possível, as reclamações pela pouca atenção recebida. Para quem ama, toda atenção é sempre pouca. Quem ama feio não sabe que pouca atenção pode ser toda atenção do mundo. Quem ama bonito não gasta o tempo dessa atenção cobrando a que deixou de ter.

Não teoriza sobre o amor (deixe isso para nós, pobres escritores que vemos a vida como a criança de nariz encostado na vitrina, cheia de brinquedos dos nossos sonhos): não teoriza sobre o amor; AMA. Siga o destino dos sentimentos aqui e agora.
Não tenha medo exatamente de tudo o que você teme, como: a sinceridade, não dar certo; depois vir a sofrer (sofrerá de qualquer jeito); abrir o coração; contar a verdade do tamanho do amor que sente.

Jogue pro alto todas as jogadas, estratagemas, golpes, espertezas, atitudes sabidamente eficazes (não é sábio ser sabido): seja apenas você no auge de sua emoção e carência, exatamente aquele você que a vida impede de ser. Seja você cantando desafinado, mas todas as manhãs. Falando besteira, mas criando sempre. Gaguejando flores. Sentindo o coração bater como no tempo do natal infantil. Revivendo os carinhos que intuiu em criança. Sem medo de dizer eu quero, eu gosto, eu estou com vontade.

Talvez aí você consiga fazer o seu amor bonito, ou fazer bonito o seu amor, ou bonito ir fazendo o seu amor, ou amar fazendo o seu amor bonito (a ordem das frases não altera o produto), sempre que ele seja a mais verdadeira expressão de tudo o que você é, nunca deixaram, conseguiu, soube, pôde, foi possível ser.

Se o amor existe, seu conteúdo já é manifesto. Não se preocupe mais com ele e suas definições. Cuide agora da forma. Cuide da voz. Cuide da fala. Cuide do cuidado. Cuide do carinho. Cuide de você. Ame-se o suficiente para ser capaz de gostar do amor e só assim poder começar a tentar fazer o outro feliz.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

- SOS ALAGOAS!



AMIGO(A)S PSICÓLOGO(A)S SOLIDÁRIO(A)S,

Estamos assistindo pelos veículos de comunicação (noticiários de TV, rádio, jornais e websites) que chegou a rede nacional diante a tragédia, o caos ocasionado pelas enchentes que vem acontecendo em 22 municípios do nosso Estado (fotos). São pessoas perderam tudo, desde um ente querido, ao seu teto que hoje não lhe reservam nada, sequer um alimento ou um simples agasalho.

Até o momento são 19 mortes, 5 mil casas destruídas, 1087 pessoas desaparecidas (só em União dos Palmares são 1000) e passam de 80 mil, o número de desabrigados. (Fonte: Defesa Civil de Alagoas).

Precisamos nos unir em prol desse povo carente, sofrido que carrega nos olhos lágrimas permanentes que expressam marcas de abandono e que é o nosso dever enquanto cidadão alagoano, enquanto psicólogos ajudar aqueles que sofrem, aqueles que se reservam na escuridão aguardando apenas o nosso passo em prol de suas necessidades, o passo que nos une pela solidariedade, pela compaixão.

Dessa forma, façamos dessa solidariedade a bandeira de nossa marcha permanente para minimizar o sofrimento dos nossos irmãos carentes diante a nossa sede de acolher e resgatar a dignidade pelo simples ato que querermos construir uma ponte entre eles e nós, porque, em verdade, somente a compreensão, a compaixão e a fraternidade, com o amor por gestos nobres que nos coloca no lugar do outro é que poderemos conseguir efetivamente amparar, lenir, soerguer e salvar essas vidas que precisam de ajuda, que precisam de nós, que precisam de você!!!
Tragam UTENSÍLIOS, ROUPAS, AGASALHOS, ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS, COLCHÕES, ÁGUA POTÁVEL, LENÇÓIS e outros donativos. Qualquer forma de ajuda e deixem no Conselho Regional de Psicologia até a próxima quinta-feira dia 24 de junho, para que possamos levar esse material em benefício a esses municípios que estão destruídos pelas fortes chuvas!

As DOAÇÕES podem ser deixadas no CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE ALAGOAS, situado à Rua Professor José da Silveira Camerino (Antiga Rua Belo Horizonte), 291, bairro do Farol.


Alagoas precisa de nossa ajuda!!!

São muitos o(a)s desabrigado(a)s e muita destruição com as enchentes!!!


CONTAMOS COM O SEU ESPÍRITO HUMANO, DE AMOR E SOLIDARIEDADE.


AMIGOS PSICÓLOGOS, VAMOS AJUDAR AO NOSSO PRÓXIMO!!! VAMOS SER SOLIDÁRIOS!!!


ENCAMINHEM A TODOS OS SEUS AMIGOS E CONHECIDOS.

CONTATOS: (82) 3241-8231 ou crp15@crp15.org.br

Conselho Regional de Psicologia de Alagoas (CRP-15)

www.crp15.org.br

sexta-feira, 18 de junho de 2010

- Textos para Refletir!!!

Nesse mês como se comemora o mês dos namorados... Apresentarei alguns textos para reflexão de nossas ações, alguns de vocês com certeza já conhecem alguns dos textos que estarei apresentando aqui durante este mês, contudo acredito que bons textos valem sempre apena serem lidos e relidos...
Portanto, espero que aproveitem e que possam utilizá-los em suas vidas, e que claro, possamos sempre trocar idéias por aqui.

Enorme abraço e boa leitura.

QUEM NAMORA!!
(Artur da Távola)

Quem namora agrada a Deus. Namorar é a forma bonita de viver um amor. Não namora quem cobra nem quem desconfia. Namora, quem lê nos olhos e sente no coração as vontades saborosas do outro.

Namora, quem se embeleza em estado de amor. Namora, quem suspira, quem não sabe esperar, mas espera, quem se sacode de taquicardia e timidez diante da paixão. Namora quem ri por bobagem, quem sente frios e calores nas horas menos recomendáveis.
Não namora quem ofende, quem transforma a relação num inferno, ainda que por amor. Amor às vezes entorta, sabia? E quando acontece, o feito pra bom faz-se ruim. Não namora quem só fala em si e deseja o parceiro apenas para a glória do próprio eu.


Não namora quem busca a compreensão para a sua parte ruim. O invejoso não namora. Tampouco o violento! Namorados que se prezam têm a sua música. E não temem se derreter quando ela toca. Ou, se o namoro acabou, nunca mais dela se esquecem.
Namorados que se prezam gostam de beijo, suspiro, morderem o mesmo pastel, dividir a mesma empada, beber no mesmo copo. Apreciam ternurinhas que matam de vergonha fora do namoro ou lhes parece ridículas nos outros.

Por falar em beijo, só namora quem beija de mil maneiras e sabe cada pedaço e gostinho da boca amada. Beijo de roçar, beijo fundo, inteirão, os molhados, os de língua, beijo na testa, no seio, na penugem, beijo livre como o pensamento, beijo na hora certa e no lugar desejado. sem medo nem preconceito. Beijo na face, na nuca e aquele especial atrás da orelha, no lugar que só ele ou ela conhece.

Namora, quem começa a ver muito mais no mesmo que viu e jamais reparou. Flores, árvores, a santidade, o perdão, Deus, tudo fica mais fácil para quem de verdade sabe o que é namorar.Por isso só namora quem se descobre dono de um lindo amor.
Só namora quem não precisa explicar, quem já começa a falar pelo fim, quem consegue manifestar com clareza e facilidade tudo o que fora do namoro é complicado.

Namora quem diz: “Precisamos muito conversar”; e quem é capaz de perder tempo, muito tempo, com a mais útil das inutilidades e pensar no ser amado, degustar cada momento vivido e recordar palavras, fotos e carícias com uma vontade doida de estourar o tempo e embebedar-se de flores astrais... O telefone tocar e dá um salto para atendê-lo antes mesmo do primeiro “trim”.

Namora, quem namora, quem á toa chora, quem rememora, quem comemora datas que o outro esqueceu. Namora quem é bom, quem gosta da vida, de nuvem, de rio gelado e parque de diversões.
Namora quem sonha, quem teima, quem vive morrendo de amor e quem morre vivendo de amar.

sábado, 12 de junho de 2010

- Momento Poético! Especialmente ao dia dos namorados!!!

Eu e Você!

Longe muito longe eu pensei ter amado.

Um dia até pensei em não mais me permitir amar. E me fechei no medo de mais uma vez me decepcionar.

Claro que logo quando me percebi estava ao teu lado e desejando o teu amor.

Inevitavelmente então, o desejo ressurgiu, a vontade aflorou e no meu/teu olhar o sentimento brotou.

A alegria do teu sorriso me conquistou, e hoje me faz delirar.

Não és perfeito, eu também não sou! Isso é o sentido de SER... E nesta descoberta me encontro na vontade de você! Que é tão forte que suas qualidades suplantam os seus defeitos na confirmação do desejo de ao teu lado envelhecer.

O amor que hoje sinto por você é livre, leal, intenso e único, E hoje me transmuto na essência do encontro, o verdadeiro encontro, na junção do “Eu e Você”!

Adriana Pimentel (12/06/2010) Publicado também no recanto das letras
Related Posts with Thumbnails

Vídeos

Loading...