terça-feira, 25 de maio de 2010

- Acomodação ou aceitação??


Sempre me deparo com essa indagação tanto no consultório como em situações gerais.

E as pessoas sempre pensam que se trata da mesma coisa. Dificultando com isso muitas vezes um processo que poderia ser resolvido mais rápido com a aceitação de algo por exemplo.

Veja bem, aceitação faz com olhemos para a realidade de uma determinada situação ou problema, olhando verdadeiramente para o que incomoda. Como assim?

Ora! Quando temos um problema, e não conseguimos olhar diretamente para ele... A probabilidade de se encontrar uma solução para resolvê-lo é bastante remota, pois não nos damos conta que SÓ RESOLVEMOS OU BUSCAMOS SOLUÇÃO para aquilo que entramos em contato, que olhamos de frente, pois quando tentamos evitar acabamos até por não percebermos a verdadeira dimensão da situação.

Exemplificando: Fábio (nome fictício) depara-se com um diagnóstico de transtorno bipolar; contudo o mesmo não admite, não aceita que tenha tal “nomenclatura - transtorno”, fazendo com que a adesão ao tratamento não seja efetivada; ocorrendo com isso crises freqüentes de alteração do humor, envolvendo toda sua família e amigos os quais, terminam não sabendo como agir com tais comportamentos.

Conclui-se que: havendo uma ACEITAÇÃO do momento em que a pessoa se encontra como no exemplo de “Fábio”, ele poderia ter uma vida como qualquer outra pessoa, tendo os cuidados, tratamento e acompanhamento adequados e no entanto transforma seu momento maior ou pior para ele mesmo.


Já me deparei e ainda me deparo com diversas pessoas que não aceitam um determinado diagnóstico ou uma determinada problemática a ponto de não conseguir sair de situações indesejáveis e continuar repetindo um padrão de comportamento altamente prejudicial a sua vida.


Já a acomodação faz com que o indivíduo entre num parâmetro de “vítima”; por exemplo, àquela pessoa que fala: “Eu sei que não tem jeito mesmo, pra quê agir...” Desta forma entra em outro movimento de engessamento, de paralisia... de literalmente não sair do lugar. Tudo fica negro e assustador.

Mas garanto que por mais difícil que seja a dificuldade, o enfretamento dela é a melhor solução para a libertação de sentimentos e sensações.


Experimente encarar a situação, olhando e buscando as soluções para o que precisa ser solucionado. Não fique parado (a), não se acomode entregando às mãos do destino algo que é necessário a sua postura de mudança; se não está sabendo fazer sozinho procure a ajuda de um profissional para dar um apoio às decisões e escolhas que precisam ser tomadas na sua vida... Ande, ande sempre, movimente-se e descubra do que você mesmo (a) é capaz e se surpreenda!! Sei que pode não ser fácil, mas também não sei se precisa ser difícil...

Um enorme abraço a todas e a todos e boa semana!!!

Adriana Pimentel

9 comentários:

Paula Betzold disse...

Ai, tava morrendo de saudades dos seus posts!! Meu sonho é ir um dia no seu consultorio!!! rs...
dificil aceitar, pior ainda acomodar, né?! beijos

Florentino disse...

olha amiga a vida danos sertas coisas mas nos temos que conpriender ..,.,

PSICO? LÓGICO! disse...

Olá Paula!!!

Obrigada querida pelo carinho!!!
Meu tempo tá um pouco corrido mais buscarei pelo menos colocar alguns posts no mês...
Adoraria recebê-la... Mas se não podes vir a meu consultório... Então firmaremos este laço aqui!!!! É uma alternativa não acha?
Enorme abraço

PSICO? LÓGICO! disse...

É Florentino!!! A vida nos prega várias surpresas.

Abraço fraterno!

Poseidón disse...

olha amiga

la vida nos da lo que damos a la vida.

Ocupamos y tenemos el lugar que nos correspode...

En français :

Ne soyons pas si difficiles :
Les plus accommodants, ce sont les plus habiles.

La Fontaine (Jean de), Fables, l

-------------------
Il faut pourtant accepter ce que le Bon Dieu ne vous envoie pas.

feliz dia

beijos

Paula Betzold disse...

Querida, é a única alternativa, pq estamos em cidades diferentes...
Se eu tivese uma psicóloga como vc, nao ficava como estou hj!
Anote meu e mail, que é o mesmo do msn: paulinhabetzold@hotmail.com
beijinhos

Patricia Ligia disse...

Adorei a abordagem desse tema Adriana!
Posso falar dele com conhecimento de causa né?
Nada como enfrentarmos e aceitarmos o nosso "problema", tudo fica tão claro, tão mais fácil de ser resolvido!
Gosto de dizer que andava de olhos vendados e que a venda caiu a partir do momento que aceitei mudar a forma de pensar e de agir de uma vida toda.
Isso foi a chave que abriu as portas pra minha libertação emocional.
Claro que não consegui isso sozinha. Procurar ajuda profissional foi o caminho. Encontrar a profissional certa , foi minha maior conquista!
Obrigada Adriana por me ajudar a “aceitar”, por me ajudar a vencer!
Beijos. Saudades.

26 de maio de 2010 18:58

Sarah El Khouri disse...

Linda e profunda lição.
Quantas vezes a gente não se acomodou diante de uma dificuldade, que parecia insolúvel,e fizemos pose de pessoas que possuiam aceitação, mas apenas não conseguiam encarar a situaçaão de frente, e dizer: e vou lutar, não vou desistir.
Aceitação sim, acomodação não!
Aceitação e vontade de batalhar.
Abraço

Monica Loureiro disse...

Adorei ter vindo ao seu Blog...
Vou linka-lo ao meu !
Eu amo psicologia e sou uma prova viva do quanto bem ela pode fazer para as pessoas...

Related Posts with Thumbnails

Vídeos

Loading...