terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

- Momento poético!


Paralisia

Sinto-me paralisado.
Como uma dor sem sentido.
Como um motivo sem causa.
É como se a alma tivesse esvaecido e agora vagando quer se encontrar.
Sinto-me sem voz!
Inabalávelmente no silêncio.
Daquilo que posso, mas não consigo.
Pelo engessamento que se petrificou em minha aura.
Sinto-me sem sentido!
No ar, no canto, sem vento!

Adriana Pimentel – 25/01/11

Publicado também no Recanto das letras

6 comentários:

Juliana Bragança(juju) disse...

você conseguiu com suas palavras expressar o que sinto....
adorei o blog

Daniel Hiver disse...

Sofrer de paralisia é quase tão desconcertante quanto sofrer por correr demais.

PSICO? LÓGICO! disse...

Ou Juliana!!!
Ás vezes precisamos entrar em contato com o que nos paralisa para tomarmos decisões.. Analisa tua vida e saia do que te aflinge... Mas é isso... A vida é feita de momentos...

Obrigada por estar aqui!

Paola disse...

Você consegue expressar as palavras muito bem.
Parabéns.

Edward de Souza disse...

Carnaval. A Lua abre o desfile na passarela do céu. Estrelas se fantasiam de brilho, deixam rastros luminosos no firmamento, poeira prateada que se perde na distância infinita. Há o silêncio do espaço sideral, a quietude dos jardins e o ritmo de cuícas, tamborins e pandeiros. A vida palpita na terra e no mar, o choro fica para depois. A hora é de alegria, de esquecer as tristezas e foliar. Alegria, alegria, tristeza é pecado.

Um bom feriado, Adriana!

Bjos

Edward de Souza

intensité disse...

Menina, amei seu Blog.
Te sigo.

Beijos no coração!

Related Posts with Thumbnails

Vídeos

Loading...